sexta-feira, 4 de outubro de 2013

(2013/1144) E não é que o novo é igual ao velho?


O teólogo "moderno" descobre que o deus antigo era um deus de representação e que, dentro dessa roupa-representação, está, preso, um deus vivo: ele, então, imediatamente, lança fora a representação antiga e liberta o deus vivo que estava preso e, então, ao ouvi-lo falar pela primeira vez, eis que ele fala as mesmas coisas que o antigo deus da representação...

FE-NO-ME-NAL...








OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget