sábado, 29 de março de 2014

(2014/074) Dos dois tipos de críticos da razão


Há dois tipos de pessoas, que conheço, que criticam a razão. Religiosos (a), e a esses eu não empresto ouvidos, porque são papagaios de denominação e doutrina, nada além disso (ponho nessa rubrica supostos filósofos, que, na verdade, são religiosos disfarçados) e críticos (b) da racionalização, armadilha em que a razão pode ser aprisionada, quando perde o contato com o real. 

A crítica da razão, quando serve apenas para a defesa da irracionalidade, da doutrina religiosa, de outros, hahaha, "modos de conhecer", soa-me como uma estratégia de auto-engano que só funciona se os vizinhos também fingirem que o elefante está voando...

Ela funciona assim: o sujeito faz a "crítica" da razão para - essa é sua única intenção - defender a desrazão e, com isso, ganhar pontos para seu modos operandi - tratar mitos e fantasias como depósitos de verdades profundas...

Passei dessa fase.

Não acredito em depósitos de verdades profundas.








OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget