domingo, 5 de abril de 2015

(2015/394) Quando todos somos Corleones

Em O Poderoso Chefão III, em determinado momento, Corleone aproxima-se do sobrinho, que está a preparar-se a ser o novo Corleone, e lhe diz, categoricamente: nunca revele o que você está pensando...

O jogo que os Corleones jogam é o jogo político, e jogo político em seu mais alto sentido, porque é a política jogada com consciência de que é política...

Que nosso jogo é sempre político é um fato...

Surpreende-me, todavia, que tenhamos que nos comportar como Corleones - transparecer o que se pensa é escrever o nome no livro dos assassinatos encomendados...

Não se trata de deixar o jogo político, já que tudo é política: se trata de recusar o jogo mafioso.











OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget