sábado, 17 de maio de 2014

(2014/466) Se a Bíblia fosse escrita hoje, Zé Ramalho seria o Vidente de Patmos - e infinitamente melhor









Jardim Das Acácias
Zé Ramalho

Nada vejo por esta cidade
Que não passe de um lugar comum
Mas o solo é de fertilidade
No jardim dos animais em jejum
Esperando alvorecer de novo
Esperando anoitecer pra ver
A clareza da oitava estrela
Esperando a madrugada vir
E eu não posso com a mão retê-la
E eu não passo de um rapaz comum
Como e corro trafego na rua
Fui graveto no bico do anum
Vez em quando sou dragão da lua
Momentânea alienígena
A formiga em viva carne crua
Perecendo e naufragando o mar
Uê oh, oh, oh, naufragando no mar
E a papoula na terra do fogo
Sanguessuga sedenta de calor
Desemboco o canto nesse jogo
Como a cobra se contorce de dor
Renegando a honra da família
Venerando todo ser criador
No avesso de um espelho claro
No chicote da barriga do boi
No mugido de uma vaca mansa
Foragido como judas em paz
A pessoa que você mais ama
No planeta vendo o mundo girar





OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget