sábado, 24 de agosto de 2013

(2013/950) Um pouco o povo e (quase) totalmente a liderança: intolerância como adestramento programático


A intolerância religiosa não é um fenômeno natural. O monoteísmo não é um fenômeno natural. Um e outro são construções. Depois de construídos, são ensinados, como se ensina a castrar um porco ou a recolher ovos de galinhas. E a pessoa aprende.

Quem ensina? A liderança. Papas, cardeais, bispos, padres, presbíteros, pastores - e o que se pode aí pôr no feminino: são os principais culpados pela intolerância religiosa cristã. Com raras exceções, são eles os fomentadores dessa doença humana, desse câncer social. É como se a hemorroida fosse santificada - e se prestasse culto a um esfíncter inflamado - a intolerância é praticada como culto e ser viço a Deus...

E por quê? Porque os "homens de Deus" e - agora, as "mulheres de Deus", Bíblia debaixo do braço, Espírito Santo no corpo, ensinam, garantem e juram ao povo religioso - e alienado - que Deus não tolera nada que não seja o espelho...

A liderança faz isso porque se empodera com isso. Ganha para si um rebanho submisso e crédulo, hipnotizado e sem riscos de rebeldia. Vive-se disso, literalmente, em termos de dinheiro, e psicologicamente, me termos da neurose do divino - aquela patologia de o sujeito experimentar orgasmos por ser tratado como semi-deus, porta-voz do além...

É uma máquina, uma engrenagem. Não pára nunca de funcionar, alimenta-se no culto, na Bíblia e na catequese. Robotizados para o mal, as vítimas dessa demência aplicam cada ensinamento no trabalho, na escola, na rua, no shopping, nos hospitais, nos coletivos. Sim, experimentam prazer nisso, mas porque cuidam fazer um culto a Deus - e quem lhes diz isso é a sua liderança, essa, sim, criminosa.

Se os pastores ensinassem ao povo que a religião deles é cultura, da mesma forma como todas as demais, ou mesmo se ensinassem que a religião deles é divina, assim como todas as demais, o povo mudaria seu comportamento em menos de duas gerações. Não duvide. Assim como aprende e é alimentado a ser intolerante e demente, o povo pode ser ensinado a ser tolerante e saudável. Basta que seja educado assim.

Mas a desgraça disso é que é justamente a cúpula a maior interessada na intolerância. É na cúpula que estão os mais dementes, de modo que o povo continuará a ser intolerante e a cidadania continuará a ser estuprada em praça pública...

Lembram-se do pastor que chutou a santa católica? Era um balão de ensaio. Os santos e orixás da umbanda e do candomblé são tratados com desrespeito civil, simbólico e legal todos os dias, todos, e ninguém se importa. Acharam que dava pra fazer o mesmo com a santa. Não deu. Do lado da santa tem gente grande. Do lado da santa, tem gente sentada em cadeiras poderosas - dentro do poder... O que, para mim, se revela como mais uma demonstração clara de como a coisa se joga, de verdade, entre os deuses...

E o povo é bem teísta mesmo...





OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget