terça-feira, 31 de março de 2015

(2015/370) E se Yahweh for mesmo um deus estrangeiro, heim?

Todas as evidências bíblicas, históricas e arqueológicas apontam para uma conclusão curiosa: o deus que judeus e israelitas passaram a adorar como deus principal (já que eram politeístas desde sempre) não era um deus abraâmico nem israelita.

Os abraamitas, povos do sul da "terra de Israel", eram adoradores de 'El-Shadday, que não era Yahweh. Só passaram adorá-lo depois do cativeiro babilônico, ao menos na condição de Yahweh como 'El-Shadday, identificação forçada pelo templo.

Israel, como o próprio nome diz, originalmente adorava 'El, deus cananeu, chefe do panteão dos deuses, pai de Baal. Em algum momento entre os séculos XI e IX, passaram a ter Yahweh como deus principal, e Israel acabou a se fundir com 'El.

De onde então ele saiu? Tudo indica que da região do extremo sul da Palestina - região de Edom, Amaleque, Midiã. Em Israel, isto é, ao norte, Yahweh entrou ou levado por um grupo de escravos fugidos do Egito ou por meio de casamento entre a dinastia de Edom e a de Samaria, já que sabemos que no século IX ele era adorado tanto em Samaria quanto em Temã. Já em "Judá" Yahweh deve ter entrado levado pela tribo pré-árabe de Judá, já que Judah, tudo indica, era um povo não-judeu da região de Midiã. Recorde-se que onde Judá, a tribo pré-árabe entra, lá estão os abraamitas desde pelo menos o século XIII. A tribo, que leva o nome de Yahweh em seu nome, deve ter levado Yahweh para "Judá".

Curiosa história essa...

Um deus estrangeiro, entra em território estrangeiro, toma essa terra para si e, daqui a pouco, odiará estrangeiros...

O que não faz a religião na cabeça da gente...










OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget