domingo, 29 de março de 2015

(2015/361) É preciso sorte para interpretar histórico-socialmente textos bíblicos

A adequada interpretação de um texto bíblico por meio do método histórico-social depende basicamente de sorte.

Eu explico.

Não estou negligenciando a técnica. É pressuposto. Se não domina o Hebraico bíblico, se não domina as técnicas histórico-críticas, se não domina a própria Língua, então esquece.

Considerando-se, todavia, que tenha o domínio e, por isso, pretenda meter-se a interpretar - em sentido histórico-social - um texto bíblico, então se precisa de... sorte.

Digo isso porque a tarefa é difícil e ingrata. Não é qualquer texto que se entrega à adequada interpretação.

Se o texto não tem relação íntima com o momento em que foi escrito, se não nasce por um conflito qualquer, se é a expressão genérica de um pensamento genérico - um provérbio, por exemplo -, há tão pouco ponto de apoio nele para se saltar para seu mundo que qualquer tentativa é especulação.

É preciso que o texto tenha elementos da identidade dos ouvintes, do escritor, da época, do conflito em questão. É preciso que o texto esteja ainda soterrado nos dias de seu tempo. É preciso que ele ainda seja um pedaço de seu mundo.

Se há sorte e se alguém se depara com um texto assim, então a tarefa da interpretação histórico-social resulta consideravelmente facilitada...













OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget