domingo, 29 de março de 2015

(2015/360) Porque o Senhor nunca desampara os seus



Foi há mais ou menos uns duzentos e trinta e sete anos, mas eu não tenho certeza. Chamava-se Louis Farble Smith-Jones. Sua esposa chamava Mary Ellen Sofie-Ferguson Jones. Tinham oito filhos e duas filhas. Morrera um. No parto. O campo de algodão que tinham estava bastante prejudicado. Um pouco a seca, um pouco os insetos. Smith-Jones fora acometido de uma febre indistinta, mas grave, e a família estava em dificuldades. Na igreja, pediram ajuda ao Senhor. Sofie-Ferguson ensinava a seus filhos que Deus não abandona os seus. Nunca. Não seria o dia. A comunidade da pequena igreja reuniu-se, comovida. Reuniram alguns dólares e doaram à família. Smith-Jones comprou um preto de bons dentes, com garantias de que não era fugido e que tinha experiência com algodão. Na mesma noite em que o preto chegou, depois de o acomodarem na improvisada senzala, entre o campo e a cocheira, a família Jones & Ferguson reuniu-se em torno da mesa e orou agradecida ao Deus que nunca desampara...

Na senzala, Mbuna Fauaba chorava...











OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget