sábado, 14 de fevereiro de 2015

(2015/201) Dois arroubos retóricos sobre a relação professor-aluno


I.

Professores e alunos... Que relação! Nós, alunos, dependemos deles; eles, alunos, dependem de nós...

Mas a ciência é sempre, inexoravelmente sempre, incompleta, provisória...

De sorte que é preciso vencer a relação discípulo/guru, essa herança místico-religiosa adotada politicamente nas relações de orientação.

O aluno tem de preparar-se para, sempre, sempre, absolutamente sempre, sendo honesto até a próstata, superar o professor, ultrapassá-lo, e pôr mais um degrau na escada...

Se conseguir, será um tributo ao mestre.

Se não conseguir, o aluno não estava à altura da tarefa...




II.

Se Deus há, e não sei se há, se deuses há, e não sei se há, se há Alguma Coisa, Qualquer Troço, onde quer que seja, eu peço: dai-me alunos que me superem e me mostrem onde estou errado, e afastai de mim papagaios bobos e despeitados doentes...

E, sobretudo, dai-me a sabedoria de identificar uns e outros...










OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget