quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

(2015/111) Pelo fim dos "nós" e "eles"

Se deixarmos a questão dos crimes internos de lado, talvez se possa dizer que a única forma de acabarmos com as guerras é criar uma consciência planetária de grupo - incluirmos todos os homens e mulheres em um "nós" planetário, excluindo todos os "eles".

Historicamente, onde quer que "nós" tenha chegado, o "eles" foi, inicialmente, enfrentado com violência, dizimado e, depois, assimilado, tendo suas terras e tradições tomadas à força.

A última etapa desse processo, o período das grandes navegações, estabeleceu o fim dos novos territórios. O novo processo, parece, se dá, no século XX, pelo modo estadunidense de invadir, tomar, inventar mentiras.

Se não construirmos um discurso planetário do "nós" e excluirmos de nosso mito político a figura do "eles", jamais seremos um planeta, jamais seremos um povo, jamais viveremos em paz...








OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget