quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

(2015/110) Fragmentos facebookianos


I.

Não gosto desse autor...

... ele não fala o que eu quero ouvir...

Não gosto desse autor...

... não usei em minhas pesquisas...

Não gosto desse autor...

... não o li....

E por aí vai.

https://www.facebook.com/osvaldo.l.ribeiro/posts/774906749256564


II.

Falamos e comemoramos nossa Independência. Soube que o Haiti também se tornou independente, à época. Antes de nós, até...

Mas olhem que fato curioso: tanto nós quanto eles tivemos que pagar pesado fortuna em ouro. Nós, negociamos com nossos pais, eles, com a França.

Expropriação para entrar, expropriação para sair. E, se pensarmos bem, expropriação até hoje.

https://www.facebook.com/osvaldo.l.ribeiro/posts/774862422594330


III.

"Ai! Entristeçamo-nos porque chegaram…vieram fazer nossas flores murchar para que somente a sua flor vivesse…vieram castrar o sol (...) Entre nós se introduziu a tristeza, se introduziu o cristianismo…Esse foi o princípio de nossa miséria, o princípio de nossa escravidão".

Se o constrangimento for real, você procurará a fonte, achará, e chorará com ela. Se não for, é curiosidade pequeno-burguesa.



IV.

A comunidade (faz-me rir - há cinismo maior do que esse? - como assim "comunidade"?) põe um outdoor na Dutra: "São João dos Coquinhos pertence a Jesus". Em lugar de esclarecer política e civicamente aos crentes, de que a cidade não pertence a Jesus, não, pertence ao povo, seja povo de Jesus, de santo, de ninguém, pertence aos cidadãos, o O infeliz do pastor, esse criminoso de lesa cidadania, ainda vai na frente, gritando aleluia.

É um demente ético.








OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget