sexta-feira, 23 de maio de 2014

(2014/493) Provocações aos peregrinos


O sujeito vai a Israel, vai ao Sinai, e, lá em cima, chora lágrimas comovidíssimas de emoção e espiritualidade, e, desde lá de cima, espraia com seu olhar de amor o mundo perdido, que não compreende e não aceita a dádiva de Deus...

E, então, ele anota em seu diário de viagem e peregrinação: estive no monte em que Deus entregou as tábuas a Moisés, e pude experimentar mais uma vez as minhas convicções e, dessa vez, empiricamente experimentadas...

Não sabe ele que aquele monte é falso e a história, um mito.

Quanto ao monte, foi artificialmente identificado como o Sinai por religiosos da era cristã, onde logo trataram de construir um mosteiro. 

Quanto à história, bem, não adianta explicar...



(...)



O sujeito vê um grupo de turistas e se aproxima. Vai aproveitar o guia... Caminhas pelas ruas de Jerusalém e chegam a até um edifício muito bonito...

Aqui, o grande profeta subiu aos céus, diz o guia, com o rosto em austera introspecção...

_ Jesus!, grita o incontrolado viajante oportunista...

Todos olham para ele, e ele percebe em seus semblantes uma expressão entre descontentamento, surpresa e repreensão...

Não, meu jovem: Mohamed...






OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget