quarta-feira, 11 de setembro de 2013

(2013/1043) Como eu leio narrativas da Bíblia Hebraica (Antigo Testamento)


Essa palestra deve ser de 2006, 2007, por aí. Tem um tempo já. Foi na UERJ, em um encontro de História e Religião. Eu estava às voltas com minha pesquisa sobre Gênesis e as narrativas de criação e dilúvio. Havia tido a inspiração sobre narrativas mítico-literárias na Bíblia Hebraica (ideia que me veio por uma expressão que Haroldo Reimer redigiu na correção de minha dissertação de mestrado sobre a serpente de bronze) e estava amadurecendo a ideia.

Na primeira parte, falo de como lido com os textos da Bíblia Hebraica (e do NT) - são apontamentos teórico-metodológicos. O contexto, é o de comunicação pública, quando se deve se concentrar na inteligibilidade do discurso.

Na segunda parte, trato mais detidamente sobre a interpretação que eu fazia - e ainda faço - sobre as duas narrativas do dilúvio, constante, agora unidade, entre Gênesis 6,5-9,18.

A qualidade do som não é das melhores. Apenas os interessados de fato no tema - e curiosos sobre o que eu teria dito - conseguirão chegar até o fim.








OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget