sexta-feira, 30 de maio de 2014

(2014/526) Fragmentos facebookianos


I.


A naturalidade com que se faz referência ao movimento do sol em torno da Terra é a mesma naturalidade com que se faz referência a Deus e seus atributos. Ambas estão fundadas apenas na experiência subjetiva e na ilusão de ótica. Uma, já caiu. A outra, bem, a outra ainda rende dividendos a CPF e a CNPJ... No fundo, sobrevive mais por conta dos dividendos institucionais.


II.

Lendo o artigo sobre os sermões de Tillich, de meu amigo e agora (para nossa total alegria) professor da Federal de Sergipe, deparei-me com essa declaração de Tillich, contida em um de seus sermões que tanto sucesso fizeram:

"Deus quer que façamos a pergunta da verdade que pode nos isolar da maioria dos homens e que pode ser feita somente em solidão". Imediatamente, como um arroto que nos vem, incontrolável, veio-me esse pensamento: se pregação é falar como que de Deus, é nomeá-lo como um agente de qualquer coisa, e pior, de cuja ação e sentimento, intenção e desejo eu sei e dou conta, então não posso mais pregar. Nem ao público nem para a minha própria satisfação pessoal.


III.

Quando a prova "é de Deus", crente chega a virar os zoinhos... Quando a prova é da Faculdade, crente trata como se fosse coisa do Satanás. E eu com uma tristeza danada, quando ele descobrir que só há estas últimas...


IV.

De que gostem ou de que entendam? Que preferes?

Escrever...


IV.

Com sua forma inflacionada de lê-la, de todas as orações da Bíblia, bastava a Igreja acreditar em uma única: "Pai, perdoa-lhes"... Mas não. Incrédulo corpo de Cristo...


V.

Por que não mando um crente homofóbico se danar?

Por que quero evitar redundâncias...

Um religioso que não tem na alma um grama de acolhimento e afeto já está danado: haja ou não inferno... Quanto mais esse que, além de não ter um grama de acolhimento e afeto tem nos olhos quinze diabos mesquinhos...


VI.

O único argumento realmente sério para o fato de a Bíblia condenar os gays, sério e definitivo, sério e incontestável é: e daí?


VII.

Seguidores de um Deus que fez acordos com o diabo recriminando um político que faz acordo com outro - que, mal ou bem, é um dos mais votados de São Paulo...

Pobre Jó.

Mas ganhou filhos novos depois.

Bom, né?







OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget