sábado, 16 de março de 2013

(2013/257) "Eu estou citando fulano"...


1. Há quem tenha entendido que o fato de citar alguém, algum autor, algum livro, com a intenção de dar fundamento ou crédito, validade, "chão", para o que se está dizendo funciona automaticamente...

2. Não funciona.

3. Autor nenhum, livro algum é, em última análise e necessariamente, a última palavra a respeito de fenômenos históricos. No máximo, o que você consegue, citando alguém, é demonstrar que não está sozinho,m está, na verdade, repetindo o que alguém disse.

4. Todavia, o que essa pessoa disse tem de ser demonstrado, tem de prestar contas ao real, tem de ter fundamento.

5. Assim, muitas vezes, ao citar alguém, algum livro, para dar fundamento ao que se está dizendo, você só acrescenta mais um equivocado à lista dos equívocos.

6. O acúmulo de citações é enganoso.

7. A sua validade é retórica - e, seja a sua declaração, seja a do autor a que se recorreu, citando-o, ambos devem prestar contas à realidade: a) factualmente, b) epistemologicamente e c) retoricamente - evidência, teoria e argumentação.




OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget