domingo, 27 de março de 2016

(2016/095) Como se deu historicamente a aplicação a Jesus do mito da ressurreição?

Por que se começou a crer que Jesus nasceu de virgem é fácil especular. Por que se começou a dizer que Jesus morreu para salvar pecados é fácil especular. Por que se começou a dizer que Jesus subiu para o céu é fácil especular. Quanto a esses mitos, os gatilhos de sua criação cultural são de fácil domínio da pesquisa e estão disponíveis nas boas literaturas...

Mas a ressurreição continua me encafifando. Não, claro que não tenho nenhum impulso crédulo. Não se trata disso. É mito. Mas eu não consigo dominar ainda o gatilho cultural. De onde saiu de fato, historicamente, a ideia de que Jesus havia ressuscitado...

É mito anterior ao mito da salvação da cruz? Posterior? Por que as mulheres estão na camada mais profunda dessa tradição? Tratou-se de um mito periférico - "coisa de mulheres" - que a tradição cooptou e masculinizou? Mas o que de fato gerou a aplicação a Jesus da crença na ressurreição?

O leitor há de perceber, se bom leitor é, que eu disse "aplicação a Jesus da crença da ressurreição"... Todos esses mitos - nascer de virgem, subir aos céus, ser salvador, ressuscitar - são anteriores a Jesus. Eram aplicados a diversos personagens do mundo grego e romano. Justino, o mártir, diz isso em Diálogo com Trifão. Só fizeram - como sempre fizeram - pegar crenças da cultura religiosa da épica e aplicar a Jesus...

Mas a questão que para mim não está ainda resolvida de todo é: de onde veio, historicamente falando, a razão para aplicarem a Jesus o mito da ressurreição?










OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget