terça-feira, 27 de maio de 2014

(2014/513) Fragmentos facebookianos

I.

Os pastores e crentes engajados reclamam que a TV moldou o modo de vida de crianças, de jovens e de adultos. Mas eu observo que a TV moldou também a própria igreja: cultos transformaram-se em programa de auditório e os pastores são as Xuxas e os Rausl Gils de Jesus...


II.

Quando alguém me chama de herege, isso é bom: me revela que ali vai um autocrata miserável.

Para todos os fins, heresia é escolha, herege é quem escolhe e autocrata é o pequeno tirano que não pode viver com a liberdade dos outros: dói a ele mais a liberdade alheia do que a própria prisão infernal a que se reduz sua imprestável existência...


III.

Se a Globo fechasse hoje, eu não sentiria falta.
Se ninguém noticiasse, eu nem daria pelo acontecido.


IV.

Meu face?
Para mim, mistura de conteúdo e estética.
Estética, sem conteúdo, é frufru.
Conteúdo sem estética, gaveta de morgue.
Se estou sendo soberbo, falando de conteúdo?
Acho que não.
Está claro que o juízo é meu...
Não falei de estética...?


V.

O número de pessoas que fala sozinha, consigo mesma, chega à casa dos bilhões... A maioria, no entanto, não se dá conta de que de que não há linha...


VI.

Pelo amor de Deus, começa o pregador progressista, nós somos a igreja, a igreja são as pessoas, os crentes, os filhos de Deus - entendam isso. A igreja não são os tijolos, meu Deus! Vocês entendem isso? Compreendem isso?

Depois de um breve silêncio, conclui o culto: bem, irmãos, de noite, nos encontramos novamente aqui "na" igreja...

É interessante ver o tipo de crítica conceitual que para na crítica conceitual...








OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget