sábado, 26 de abril de 2014

(2014/344) A Ideia "Deus", Cristianismo e Ética III


Aplicar a Ética depende, já, de uma posição ética anterior.

Vejam como o cristão se esconde atrás de argumentos éticos, porque lhe falta a base ética plural e universal, que precisa ser anterior à ética aplicada ao aqui e ao agora.

"Você deve fazer ao outro o que quer que façam com você" - a versão positiva da máxima farisaica: "você não deve fazer a o outro o que não quer que façam com você".

Observem dois casos de aplicação dessa máxima.

A. Caso plural - partindo do pressuposto - até constitucional - da liberdade de religião, da dignidade da pessoa, partindo da compreensão da sociedade moderna (tão detratada pelos "espiritualistas"), considero que meu direito à minha religião é equivalente ao direito do outro à religião dele, de modo que se eu desejo que ele abandone a religião dele, para que assuma a minha, eu peco contra a norma ética e moral, já que, se ele desejasse que eu abandonasse a minha religião, para assumir a dele, eu ficaria aborrecido e gritaria aos sete céus esse crime... Mas eu posso, ele não. À luz da ética moderna, isso é um crime, um pecado, a prova de que a religião não opera na coerência da ética fraterna e universal, mas apenas no regime da ética do gueto...

B. Caso narcisista-catequético - o crente parte do pressuposto que a religião dele é a única certa e boa. Então, ele acha que o que é bom é dar a todos essa única religião. É o que ele quer para si, então é o que ele quer para os outros. Aos olhos desse raciocínio, ele é um missionário do bem. Ele não se dá conta de que está raciocinando dentro de uma bolha, uma bolha que não se deixa afetar pelo outro, que apenas aplica ao outro o argumento viciado que ali habita. Essa ética é falsa, porque está sustentada por uma norma anti-ética. É a mesma ética da Inquisição: para quem a praticava, era um ato de ética e defesa da verdade - mas só era possível pensar assim, se tapassem os ouvidos aos gritos do mundo, coisa fácil de se fazer, quando se tem Deus nos olhos, ouvidos e em todos os buracos do corpo.








OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget