sexta-feira, 18 de abril de 2014

(2014/269) O que (eu acho que) o cristão "progressista" tem de entender


O cristão que se diz progressivo e livre das estruturas opressivas do Cristianismo que ele considera "deturpado" recorre à massa de estoque das tradições dos Cristianismo, constrói um Jesus bonzinho e "dos que sofrem", reflexo do amor e da liberdade e, ai, ai, imediatamente retornam à plataforma de ter que enfiar esse construto na cabeça do mundo inteiro, seja brasileiro, americano, ocidental, terráqueo. Ou seja, ele acha que se libertou a síndrome de Império e, todavia, apenas mudou o sinal - de um Deus-mal a oprimir todo mundo, um Deus-bom a amar todo mundo. É, ainda, o mesmo sujeito, tentando limpar a varanda da velha casa...

Se o sujeito quer manter-se cristão, que ao menos restrinja sua sede de poder (transformada em sede de cuidado - mera abstração doutrinária): o mundo não precisa do seu mito, porque o mundo está apinhado deles e cada povo tem, já, o seu.








OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget