domingo, 23 de fevereiro de 2014

(2014/040) O puma, o ursinho e a vida como moedor de carne

No Youtube, uma versão reduzida deste vídeo foi legendada com blá blá blá evangeliquês. Para quem gosta de chavões automatizados, um prato cheio. Como, todavia, o vídeo é obviamente independente da lenga-lenga crente que lhe apensaram, procurei a versão original. Ei-la.



É uma bela "narrativa". O "mau" puma contra o "pobrezinho" do filhote de urso. A mesma narrativa podia ser escrita de outra forma - bastaria filmar um urso "mau" atrás de um filhote de puma.

É fácil provocar sentimentos. Mas é preciso ter em mente que se trata não de uma narrativa de cinema, mas a narrativa mesma da vida - dura como ela é. É a vida, e nada mais do que a vida, que leva o puma a tentar não morrer de fome e comer o que lhe vier à frente - porque tem fome. Não atacaria o filhote à toa. E, nesse dia, foi para casa sem ter o que comer e eventualmente, sem ter o que dar à ninhada...

Narrativas sentimentais da vida ou religiosas não compreendem a vida. A vida não tem sentimentos nem religião: a vida é nada mais nada menos do que um moedor de carne.

Nós, (felizmente) (às vezes) não.








OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget