sexta-feira, 25 de outubro de 2013

(2013/1210) Uma palavra sobre pastoral protestante


No Protestantismo, dado que todos os homens - e mulheres - são sacerdotes de si mesmos, não é necessário pastor algum, pastora alguma, para intermediar as coisas entre o homem e Deus, entre a mulher e Deus. Pastor que se mete a isso é uma fraude ambulante, uma fraude teológica, uma fraude traditiva, uma fraude patética...

No Protestantismo, cabe, apenas, a figura do cura d'almas, do cuidador, doconselheiro, do ajudador. Indispensável figura.

Porteiro de céu é ridículo. Soldado da doutrina, patético. Mago de Jesus, ridículo.

Cabe aos vocacionados assumirem sua humanidade, sua vocação terapêutica e se dedicarem à única coisa legítima que lhes cabe: cuidar de pessoas.

O resto, traição da tradição.

Vamos comemorar 500 anos, daqui a 4. Que tal aproveitar para corrigir essa distorção?








OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget