segunda-feira, 11 de novembro de 2013

(2013/1338) Você sabe o que é religião? Ou: o uso do cachimbo...


Depois de termos tomado o pathos sacerdotal como "a" expressão religiosa, subsumindo a ele todas as demais expressões sócio-psico-culturais que se poderiam classificar de religiosas, como se apenas o modus faciendi sacerdotal pudesse ser realmente considerado religioso, ainda caímos em novo buraco conceitual, outra vala terminológica: a subjetividade emotiva das renovações espirituais cristãos dehá alguns poucos séculos... A soma do leito sacerdotal com as águas subjetivas radicalizou nosso entendimento do que seria religião...

É de se lamentar.

A pergunta que deixo registrada é se podemos pensar em uma forma de religião que seja radicalmente diferente desse modelo: primeiro, que ela não caísse na vala comum da subjetividade emotiva; segundo, que ela não se deixasse aprisionar em dogmas estupidificantes; terceiro, que ela não tivesse a arrogância de pretender ter as respostas; quarto, que ela não legitimasse a própria condição da ignorância com a chancela da emoção e das lágrimas...

Será possível?

Será necessário?

Será desejável?







OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Um comentário:

Bruno de Oliveira disse...

Talvez o senhor não esteja mais falando de religião, professor. Mais que ser todas essas coisas, ela teria que encontrar meios para continuar sendo essas coisas depois de dar de cara com o mundo real corruptor.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget