quinta-feira, 11 de julho de 2013

(2013/718) Política - coisa entre o tópico e o utópico


Não se pode esquecer que a Política se faz em dois movimentos: o movimento utópico, que é a alma da Política, e o movimento tópico, concreto, que é a ocorrência dos possíveis.

A utopia não requer controles, considerações, sentido de realidade: é utopia. Já o movimento tópico, concreto, aqui e agora, a ação em si, essa precisa de lucidez, de considerar-se que há uma distância infinita entre a utopia e a "topia".

Se você não entende isso, vai falar muita asneira sobre Política, porque não consegue distinguir entre o possível e o ideal. Vai deixar que os sentimentos minem sua análise concreta. Não conseguirá mais perceber o tópico e, como não se pode viver no utópico, entrará em parafuso teórico.

Quem acha que apoio Lula pelo ideal, pelo utópico, faz-se de tolo.

Quem entende que apoio Lula como a ação possível, entende-me.

(...)

O risco de eu estar errado: há um outro possível, que eu não enxergo como realmente possível.

Posso estar errado, desde que não me venham com possíveis Barbosas, Marinas, Hucks e velhos Coisos...

Apontem-me um possível verdadeiramente possível e darei o braço a torcer.

Antes disse, parem de mimimi...

Ah, e antes que eu me esqueça: qualquer possível que a mídia apresente, já detesto de pronto.





OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget