quinta-feira, 11 de julho de 2013

(2013/719) É sobre a crença - um comentário sobre Dawkins e ateísmo


Não me engano, aceitando considerar que um ateu está em um patamar epistemológico mais apurado do que um crente, um teísta. Não, não está.

Um ateu é, a meu juízo, o outro lado da moeda, da mesma moeda.

Um ateu que se manifeste sobre deus é tão crente quanto um teísta que pregue Jesus.

Digo isso para, agora, tentar fazer ver a quem, ciente disso, foge da questão.

Quando eu me pronuncio sobre a fé das pessoas, não estou me pronunciando sobre o deus em que elas acreditam. Se há alguma coisa lá, onde elas cuidam haver, isso não se pode saber, nem afirmar nem negar.

Mas alto lá! Estamos falando da crença - e essa crença é um fenômeno de aqui e de agora, antropológico, histórico, psicológico, sociológico - humano.

Dele, desse fenômeno de crer, dele, sim, posso falar - e, nesse sentido, não faria qualquer ressalva à fala de Dawkins, nos termos em que ele se pronuncia no vídeo abaixo.

Um crente que não compreende que a sua crença é estruturalmente igual a todas as crenças tem um problema epistemológico sério e um problema ético sério.

Um teólogo, então, ainda mais grave, porque, se é teólogo mesmo, e não comprou diploma, conhece a história da teologia, a história do pensamento e a história das religiões, e sabe que ele crê - se crê - igual a todos os demais crentes de todos e quaisquer deuses.

É indesculpável uma crença que se ilude consigo mesma, tomando-se como outra coisa que não apenas crença - e se o crente afiança-se em sua própria crença, é o maior exemplo de vaidade, presunção e arrogância que se pode encontrar: ele, fundamento dele mesmo.

Não posso falar nada sobre deus e os deuses - mas posso falar tudo sobre a crença neles: e, nesse sentido, todos eles são invenções da crença humana.

Invenções tão eficientes que nos fazem chorar, sorrir, matar e morrer por elas... Seja Jesus, seja Buda, seja Krishna, seja Alá, seja Ogum.








OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget