sexta-feira, 6 de março de 2015

(2015/246) Não sei quando acordei...

Não sei quando acordei...
Só sei que dormia.
Era mais do que dormir - era um letargo, uma vegetação...
E, então, alguma coisa...
E acordei.

Há dias que sinto saudades da dormência.
E sinto que somos ilha vulcânica, criando-se a pouco e pouco, mas com o mar sempre a querem engolir nossa pequena casa coagulada...











OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget