segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

(2015/170) O saco de pancadas Feuerbach

Löwy, e tanos mais, insistem em que a teoria de Feuerbach sobre a religião é idealista e a-histórica, e que Engels, aí sim, traz a religião para o contexto social... Tenho minhas severas dúvidas quanto a esse tipo de enunciado. É como se pudéssemos dizer que a Biologia é a-histórica! Mais - é como se os processos histórico-sociais aqui e agora não fossem possíveis por força da atuação profunda de estruturas anteriores, universais, psicológicas. Ora, é indiscutível que a teologia, isto é, a crença nos deuses e a sua racionalização mítica, constituem o fundamento de qualquer religião, qualquer, seja ocidental, seja oriental. Aqui e agora, os mecanismo de atualização desse processo histórico-psicológico podem ser variados - e são! - mas o processo é o mesmo, porque facultado por estruturas da espécie humana, cuja história não tem a ver com os instantes do aqui e do agora que a sociologia tenta dar conta, mas com os milênios e milênios que, desde lá de cima, observam os sociólogos de lupa na mão.

Óbvio: sem a atualização aqui e agora das estruturas milenares (evolutivas!) histórico-psicológicas da espécie humana essa faculdade não passa de potência inútil. Todavia, sem essa faculdade, os homens sequer religião inventariam.

Não se pode cortar a realidade em fatias.

Mas, se se vai cortar, que ao menos não se imagine que uma fatia se faz sozinha.









OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget