sexta-feira, 6 de junho de 2014

(2014/572) Fragmentos facebookianos


I.

Podemos, sim, pensar sozinhos. Refletir sozinhos. Ler sozinhos.
Agir, eficientemente, só articulados, só engajados, só em grupos organizados.
Por isso, pouco mudarei no mundo.
E por isso devo aprender a compreender e respeitar mais os grupos organizados.
O problema deles, todavia, é que facilmente se transformam em movimentos de corpo, movimentos de partido, movimentos de conservação.
É o risco.


II.

Reduzir os cristianismos à sua matriz política e retirar dele a superestrutura mitológica? Já foi feito.

De sorte que é totalmente despropositado propô-lo, sem a retirada daquele andar.

Com o andar mitológico mantido, dá-se a manutenção dos velhos cristianismos, e quem quiser que se engane, se prefere achar que eles se salvam.

Retirando o velho andar embolorado, resultam as plataformas políticas disputadas entre o fina do século XVIII e o início do XX. O resto, é o luar de Paquetá.


III.

O Décio Monteiro de Lima escreveu, com todas as letras, que o movimento avivalista foi "trabalhado" no Brasil programaticamente pela CIA para conter a Teologia da Libertação. Deu nome a bois.

Se ele estava certo ou não, cada qual que faça as contas. Mas que eu olho para o catolicismo de esquerda e o vejo tomado pelos movimentos carismáticos, que eu olho para a TV e vejo a venda legal de opiáceos, que eu olho para todos os lados e vejo alienação programada, acintosa e fordista, vejo.


IV.

Quando o livro começa dizendo que "o povo de Israel" cria em, eu já fecho o livro e vou arrumar outra coisa para fazer. Lavar um banheiro, por exemplo. "O povo de Israel" não cria em. Diferentes grupos israelitas e diferentes grupos judeus criam em diferentes e, muitas vezes, mutuamente contrárias tradições. Dá não.


V.

Na boa. Quando você fizer um talk sobre a Bíblia, comece e fale sobre a Bíblia. Não fique enrolando. Parece até culto: três horas de cantorias, meia, de ofertas, três, de avisos e Bíblia, que é bom, nada...

Desisti de esperar...


VI.

Coxinha só no céu.
O Diabo já disse que não quer.


VII.

Para um japonês religioso, cada flor e pedra tem um kami...
Quando levam uma pedrada, não praguejaram, mas louvam: bendito seja...


VIII.

O nome do povo de Israel é construído com o nome do principal deus cananeu. Você sabe contar até 5 e somar 1 + 1? Então, não preciso dizer mais nada...


IX.

Fruto da sinceridade, se perdoa quase tudo.

Pastores esclarecidos e, todavia, produtores de manadas de fundamentalismo, esses estão fora da minha lista.


X.

Dá-me revolta no estômago ouvir certos pregadores metidos a bons exegetas falando sobre Bíblia. Com toda a má vontade do mundo, você decide apostar na audição, quem sabe não é apenas sua má vontade... Vamos lá... Vamos saltar para algum minuto dessa mais de uma hora de falação... Vejamos... Aqui... Ouvindo... Ouvindo... Desligando. Não tem condições.

Não é tanto pela ignorância: é pela arrogância, pela presunção e pela vaidade.

Melhor levar topada do que ouvir isso...


XI.

Seja político, seja religioso (e todo religioso é um político), quem se faz na aposta da manipulação da consciência do outro é uma abominação ética: não tem honra, não tem caráter, não tem moral. Não é impossível, mas é muito difícil encontra exceções.









OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget