sábado, 31 de maio de 2014

(2014/553) "Seu herege"...


A despeito de a expressão "herege" ser uma expressão político-judicial anacrônica e estúpida, já que só fazia sentido quando a Igreja era, e "graças a Deus" não é mais, polícia e juiz do mundo, agora é apenas um amontoado constrangedor de doutrinas, todas divinas e mutuamente contraditórias, bem, a despeito de a expressão herege ser uma tolice completa, a expressão "seu herege", essa, que você usa, dirigindo-se àquela pessoa que, diferentemente de você, é livre, a expressão "seu herege" é perfeita e adequada, porque o herege é um sujeito que, de fato, é dele mesmo, é de si mesmo, é seu e de mais ninguém, é livre, libertou-se, é dono do próprio nariz, não deve nem dá mais satisfação a papa algum, de qualquer tipo, de Roma ou das milhões de pequenas-e-invejosas-Romas que grassam pelo mundo extra-católico. Diferentemente, claro, de quem usa a expressão "seu herege", porque este é justamente o contrário: escravo de alguém, de uma ideia, de uma pessoa, de um "papa" qualquer - mas, sob nenhuma circunstância, livre. O que é constrangedor, porque el berra pelos telhados que onde há o Espírito de Deus, aí há liberdade, e, como livre é o que ele não é, se há espírito lá, e ele diz que há, só pode ser de outro tipo...

Todavia, se o herege a que você se dirige é apenas alguém que trocou a sua igreja por outra, trocou apenas de boiadeiro, não use para ele a expressão "seu herege": use: "herege deles", porque, como você, ele apenas trocou de dono...








OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget