quinta-feira, 17 de abril de 2014

(2014/233) Um modus operandi novo e gerúndio


Não sei como as coisas são com outros. Sei como elas são comigo - e são assim: depois que aprendo uma coisa, que descubro, ela se torna desinteressante um tanto. O prazer por que sou tomado é enorme - mas apenas na fase da procura e do encontro, quando estou estudando, pensando, investigando. Aí, tudo é gozo e agonia eternas, esforço e suavidade, suor e revelação, tudo é mágico, tudo acontece, faz-se e é assim: nasce, diante de mim, a descoberta...

Para a contar aos outros, o prazer se vai. Enfado. Sentar para escrever aquilo com que já deliciei é um esforço desagradabilíssimo, enfadonho, patologicamente amargo...

Ah, seu eu tivesse escrito tudo que descobri... Mas meu corpo pede: não, não quero mais...

Acho que a dose de prazer pela descoberta é tão intensa, tão cavalar, tão hiperbolicamente exagerada que o corpo não apenas se sacia - torna-se resistente...

Desenvolvo alergias...

Preciso inventar um modus operandi novo - contar ao mundo as coisas que descubro, enquanto as estou descobrindo...








OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget