sexta-feira, 22 de novembro de 2013

(2013/1361) Glória de Yahweh é os colarinhos...


Há 2,5 mil anos, um camponês ou a liderança (feminina?) de camponeses escreveu que a "glória", para eles(s), era o camponês no campo, trabalhando sob o sol e a chuva; disse que, se havia santos, eram todos - e disse muito mais. Tudo isso em plena instauração do regime ditatorial sacerdotal...

2,5 mil anos.

Antes de Marx. Antes de todos os críticos do XIX...

É tão surpreendentemente crítica a pequena poesia de Is 4,2-6 que até a Bíblia de Jerusalém se perde, traduzindo a inconfundível expressão "al-qol-kavod" - a rigor, "sobre toda glória" - pelo doutrinal e equivocado "sobre todas as coisas, a sua glória"...

Tsc tsc tsc...

Não é que a fórmula hebraica seja difícil de traduzir - o tradutor é que, vendido por suas doutrinas, enfiadas até o cerebelo, não consegue... Simplesmente, não consegue...

Lutero, que nada.

Is 4,2-6.

O resto, é mais do mesmo, mas em doses homeopáticas...








OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget