segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

(2016/027) Desculpem-me os manuais, mas, para variar, discordo: sobre fundamentalismo e modernidade

É engraçado como os livros sobre fundamentalismo insistem numa declaração que, no contexto dado, soa de "culpabilização": o fundamentalismo é filho da Modernidade...

Parece-me óbvio (mas a mim, quero dizer) que se trata da mesma estrada de "demonização" da Modernidade...

Ora, deixem-me, então, fazer o contraponto: são filhas da Modernidade: o conceito de humanidade, o conceito de dignidade humana, o conceito de igualdade entre os homens, o conceito de igualdade entre homens e mulheres, o conceito de direito à felicidade por parte de todos os homens, o conceito de autonomia...

Ora, o fundamentalismo, essa desgraça, não é uma "filha" da Modernidade, mas uma reação ao processo de autonomia da cultura em face da teocracia psicológica das massas religiosas. É uma reação à Modernidade.








OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget