terça-feira, 15 de julho de 2014

(2014/733) Pelado, atrás da moita


Pelado atrás da moita, sem saber decidir se olhava para a própria nudez ou para os peitos de Eva, Adão foi flagrado por Deus naquela tarde que não se sabe qual foi.


_ Eu te perdoo, meu filho, disse Deus, solenemente, como um papa na missa do galo.

_ Me perdoa pelo quê?, perguntou Adão, arriscando olhar para a novidade que percebia, agora, no corpo de Eva, por ter o Senhor me deixado sozinho com uma serpente no Jardim?

Por isso Deus o expulsou. Era cena. Nunca quisera perdoar, mas esconder a própria culpa de pai irresponsável.

Adão espera até hoje que o pai recobre a consciência.

Mas vai demorar.

OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget