sábado, 2 de novembro de 2013

(2013/1298) Pintou uma obra-prima e, então, se matou

Trata-se do pintor rococó francês, François Lemoyne (1688–1737). As intrigas na corte, a morte da esposa, sabe-se lá o que mais, teriam levado o pintor a uma profunda crise de depressão e, seja verdade, seja apenas a espataculização da vida, um dia após terminada "Time Saving Truth from Falsehood and Envy", ele se mata...



Pecado!, dirá o santarrão. Desperdício!, dirá o capitalista... Mas eu apenas diria que ele fez o que é faculdade sua, humana... E digo mais: com apenas essa pintura, parece que ele justificou mais a sua existência do que muitos santarrões e capitalistas...






OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget