terça-feira, 22 de outubro de 2013

(2013/1181) O peixe Cristianismo - as duas postas políticas de um movimento histórico-literário


Passar pela via alta, pelo caminho de cima, passar, primeiro, por Deus e, em movimento reformista, conservador, curativo, beneficente, caridoso, instaurar e restaurar a Ordem, corrigindo desvios circunstanciais, curando, cooperando, ajudando. Dentro da ordem. Porque Deus quer. Como Deus quer. 



A linha de cima do peixe...

Passar pela via baixa, pelo caminho de baixo, passar, primeiro, pelos homens e, em movimento transformador, revolucionador, revolucionário, iconoclasta, desbravador, reconstruir a realidade, refazê-la, transtorná-la na direção do bem de todos, contra poderosos e opressores, ainda que carreguem a cruz e as Escrituras.

A linha de baixo do peixe.

A Bíblia e a História da Igreja é o peixe inteiro. Os dois movimentos encontram-se dentro delas. O primeiro, instalado e instaurado pelas Instituições sagradas - o templo, a sinagoga, a catedral, cada um a seu tempo e modo...

A segunda linha, o segundo movimento, levado a termo retórico por profetas, sábios e as primeiras comunidades históricas em torno do Galileu - é o que dizem os pesquisadores.

Quando você abre a Bíblia, terá de escolher qual das duas linhas do peixe empregará em sua relação com o "povo de Deus". E, ao final, deverá responder a si mesmo, no espelho: trabalhou para quem?, a quem interessou, de fato, cada coisa que fez?

Nem tudo no peixe é igual... Nem tudo no peixe trabalha para o mesmo fim.









OSVALDO LUIZ RIBEIRO


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget