terça-feira, 22 de abril de 2014

(2014/306) Fragmentos facebookianos

I.

A fome de pão é a única que o ser humano não pode inventar que matou - arte, religião, até sexo, tudo o mais se pode inventar alguma coisa: pão, não.


II.

A julgar pelo conjunto dos que têm certeza de que vão para o céu, aquilo, senhores, vai ser um porre...


III.

Quando ouve a palavra "sagrado", ele pensa em Deus. E jura que leu em Eliade...


IV.

"Nada deve parecer natural. Nada deve parecer impossível de mudar." 
(Bertolt Brecht)

Nem, pois, a religião...


V.

Quem acha que a história do Nazismo alemão é uma história de monstros está redondamente enganado. Vá lá que tenha havido um ou dos, três ou quatro "monstros" - como os há em toda sociedade: mas foi basicamente uma história de gente normal, com ódio normal, religião normal e desejo normal pelo fim do judeu anti-cristão que matou o santo Jesus...

Podia ter sido em qualquer outro lugar de bons cristãos.








OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget