segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

(2013/1442) Ser criança, estar velho


Envelhecendo que estou, não me furto a fazer tudo o que a sociedade espera de um homem adulto e quase idoso: trabalhar honestamente, sustentar a família, pagar os impostos, essas coisas que, entendo, são necessárias e que faço com prazer.

Mas, cá dentro, dou-me o direito de ser, ainda, aquela velha criança de há 35, 40 anos. 

Uma vez que eu cumpra os deveres sociais, vivo meu interior como eu quero e posso...









OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget