quinta-feira, 3 de julho de 2014

(2014/707) Cantores de "Deus"... Jura, é?


Eu nunca vi nos terreiros de umbanda e de candomblé que frequentei, por minha mãe levado, em minha infância e pré-adolescência, indivíduos mais importantes do que os orixás, os caboclos, os erês, os preto-velhos. O que sempre importou foram os "santos", a que se queria ter acesso, e, quando em sentido mais amplo, a festa como um todo, a comida, sempre farta, a bebida em cascas de coco, a dança - ah, como se dança ali... Lembro que no Rio de Janeiro a Umbanda está mais para o Candomblé do que para o Cristianismo, de modo que os cultos são muito parecidos, com atabaques, inclusive, com raras exceções.

Já no mundo evangélico, não é raro encontrar cultos em que o cantor se faz mais importante do que o deus a quem supostamente ele canta. Só isso já revela uma diferença significativa - e, convenhamos, para pior...

E, por favor, o fato de o pavoneado cantor dizer que canta para seu deus e fazer aquelas pantomimas de humildade não convence a ninguém...









OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget