segunda-feira, 11 de março de 2013

(2013/231) Projetos, sumários e coisas de dissertações


_ Interessa-me, de seu Projeto, seu sumário. Mesmo antes de eu ler em Umberto Eco que o sumário é a alma da dissertação, já pensava dessam forma, e, agora, depois de Eco, creio piamente nisso...

_ Então quer que eu faça só o sumário?

_ Não. Quero seu sumário pronto, mas quero principalmente seu sumário. Quero seu problema, sua hipótese, seu quadro teórico-metodológico e seu cronograma, mas, acima de tudo, com máximo esmero e dividido pelo menos até as seções secundárias (1.1.1, 1.1.2, 1.1.3 etc), seu sumário...

_ Tudo bem...

_ Mas, atenção: quando terminar o sumário, tem outra atividade.

_ Pôr seu planejamento, minuciosamente, dentro de um cronograma, com previsão de entrega de cada capítulo, para análise, pelo menos duas vezes, com uma análise inicial de apenas uma seção, considerando-se, ainda, conclusão e introdução, bem como duas revisões finais...

_ Tudo bem... E poderemos sentar e conversar, depois?

_ Depende...

_ De quê?

_ De fazer ainda mais uma coisa que, isso sim, provará que você tem controle sobre todo seu trabalho.

_ O que é?

_ Tome sumário e, em cada uma das seções (capítulos, seções primárias, seções secundárias etc.), escreva um parágrafo (ou dois, ou três) que contenha três informações: a) o que você vai escrever nesse capítulo / seção primária / seção secundária; b) como você pretende escrever isso e c) qual a função disso no todo da dissertação.

_ Mas já?

_ Sim. Se você souber escrever esses parágrafos de conteúdo, de estrutura e de justificativa, então você sabe o que está fazendo, planejou bem e tem controle do processo. Se não consegue escrever isso, não planejou suficiente, não tem a mínima ideia do que está fazendo e nenhum controle do processo. 





OSVALDO LUIZ RIBEIRO

3 comentários:

Fabiano Andrade disse...

Olá Osvaldo,

Leio sempre seu blog e com muito respeito e admiração pela sinceridade, honestidade e verdade que seus textos expressam. Fui seu aluno há anos atrás no Seminário Teológico Batista no campus de Nova Iguaçu e poderia dizer que me transformei em outra pessoa durante minha temporada como aluno, pois não cheguei a concluir o curso,mas sua responsabilidade nisso é relevante. Agradeço a você por me fazer sentir as dores do parto de enxergar a realidade de coisas que não via e romper com tradições que me faziam andar ilusoriamente feliz no meu mundinho eclesiástico, ritualistico e por que não, preconceituoso. Aprendi a fazer pesquisa com você, li Umberto Eco, acho que aprendi a iniciar uma leitura real e crítica.
Após isso fiz outra graduação em Contabilidade e Administração e mestrado em economia. Juntando todos, não aprendi nada se comparado ao que aprendi com você em significado e profundidade.

Ver essa estrutura textual me fez recordar e tomar a iniciativa de escrever essa mensagem de agradecimento.

Desejo tudo de bom e estarei sempre por aqui lendo e aprendendo com meu mestre.

abraços,
Fabiano

Peroratio disse...

Muito obrigado pela informação: saber que fomos e somos úteis é uma recompensa tremenda...

Muito obrigado.

ßïå disse...

Tocante a mensagem do ex-aluno (e eterno, aposto!).

Sou visita, nunca fui aluna sua, mas de tanto frequentar esse blog e ler o que tem escrito no FB, estou quase indo estudar com vc em Vitória, justamente pra ver se consigo chegar a um nível de profundidade e conhecimento maior sobre as questões religiosas, ciência, fé, enfim, sobre muito do que aborda aqui.

Já estou seriamente tentada a ir ao Congresso que acontecerá la F.Unida em junho... vamos ver se as contas fecham.

Obrigada por tanta inquietação acadêmica e boa vontade em compartilhar conhecimento.

Abraço,
Bia Lucena

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget